Publicidades

25/11/2017 | 19:46 | Esporte

Inter vence o Guarani por 2 a 0 no Beira-Rio e termina Série B em segundo lugar

América-MG bateu o CRB por 1 a 0 e ficou com o título da Segunda Divisão

Carlos Macedo / Agência RBS


Acabou oficialmente o martírio da Série B para o Inter. Sob o comando do interino Odair Hellmann, o Inter venceu o Guarani por 2 a 0 frente a 30 mil colorados que encararam a chuva no Beira-Rio na tarde deste sábado. Termina sua missão na vice-liderança, sem o título, já que dependia do resultado do líder América-MG. Os mineiros venceram o CRB e sagraram-se campeões da Segunda Divisão.


Antes da bola rolar no Beira-Rio, um problema para a direção colorada. A negociação para ter Abel Braga travou e ele ficará no Fluminense na próxima temporada, fazendo que o Inter procure um novo nome.


Em campo, abaixo de muita chuva, o torcedor apoiou o time em massa. Levou um susto nos primeiros minutos, é verdade. Mas depois gritou gol. A primeira chance de gol aconteceu logo nos cinco minutos. Para o Guarani. Bruno Mendes apostou no contra-ataque pela direita, ganhou em velocidade às costas de Cuesta, e cruzou para Richarlyson. Chutou para fora, deixando o torcedor apreensivo.


Três minutos depois, uma prévia do que seria sacramentado aos 16. A dobradinha entre Camilo e Nico aconteceu pela primeira vez. O meia, que apostou em um visual ao estilo coque samurai, invadiu a área pela esquerda e acionou com um toque curto Nico. O uruguaio mandou para fora. Mas não errou no lance seguinte.


Nico recebeu na meia lua, acionou Pottker de calcanhar já dentro da área. O atacante pela direita devolveu rasteiro, e o uruguaio completou para o gol: 1 a 0, e um alívio notório da torcida.


Diferente de como fazia sob o comando de Guto Ferreira, o Inter se manteve no ataque. E funcionou. O segundo gol começou pelos pés de D’Alessandro, que recebeu homenagem antes da bola rolar pelos 392 jogos completados com a camisa colorada. O capitão argentino mandou para a área do Guarani, Camilo recebeu, escorou para Nico, tirando o goleiro Vágner do lance e deixando o uruguaio livre para completar o  2 a 0. O gol fez o banco inteiro colorado levantar, se abraçar enquanto o interino Odair Hellmann se dirigiu próximo à torcida.


Quando parecia ter aceitado o placar, o Guarani cresceu no jogo. Bruno Mendes Fazia frente à zaga colorada aos 35 minutos pela direita, mas Cuesta aplicou um carrinho limpo, levando à torcida no Beira-Rio à loucura. A pressão se manteve e D’Alessandro, que aparecia no ataque para sacramentar a vitória, era visto com certa frequência no setor defensivo, auxiliando Uendel na marcação. Baraka, em cobrança de falta pela direita aos 42 minutos, mandou direto para o gol e conseguiu a chance mais clara para o seu time. Raspou na trave de Danilo Fernandes e saiu.


- Dedico esses gols para a minha família e e para o torcedor que acreditava em mim – desabafou Nico López a caminho do vestiário.


O retorno para o segundo tempo teve o mesmo time. Mas um pouco menos de futebol em relação à etapa inicial. Ao menos, pela parte do Inter. Aos cinco minutos, sem espaço na área colorada, Luis Fernando chutou de longe, explodindo na trave de Danilo Fernandes.


Com 13 minutos, um novo susto: Richarlyson rolou para Dener, que chutou cruzado. Danilo fez boa defesa e impediu o gol do Guarani no Beira-Rio.


 Até os 20 minutos do segundo tempo, o 2 a 0 dava ao Inter o título da Série B. Mas não dependia só de si. O América-MG, então líder da Segunda Divisão, precisava de uma vitória para recuperar a taça que até então seria entregue ao Inter em Porto Alege. E conseguiu com Rafael Lima. Aos 29, um aparente boato fez os 30 mil colorados comemorarem o que seria o empate no CRB, o que não aconteceu.


Odair ainda apostou na entrada de Carlos no lugar de Camilo. Mas os minutos finais foram de apreensão para quem portava um rádio, com o resultado de Belo Horizonte. Aplaudido, Nico López deixou o gramado aos 40 minutos para a entrada de Roberson. O uruguaio fez 17 gols e é o artilheiro colorado da temporada.


Com vitória e sem a taça, o Inter, a partir de agora, tem a missão apenas de apresentar o nome que comandará o time em 2018.

Fonte: Gaúcha ZH

Mais notícias desta categoria

Publicidades


Mario Junior designer