Publicidades

20/01/2018 | 20:27 | Esporte

Em jogo de oito gols, Grêmio sofre virada e perde para o Caxias

Grupo de transição comandado por César Bueno abriu 3 a 1, mas não segurou o resultado

Com a derrota para o Caxias na Arena, grupo de transição do Grêmio segue sem vencer no Gauchão (Félix Zucco / Agência RBS)


Acomodado em uma cabine de rádio e tv da Arena, Renato viveu uma dupla sensação na tarde escaldante deste sábado (20). Ao mesmo tempo em que comemorou a sobra qualidade de seus meias e atacantes, preocupou-se com a ingenuidade dos defensores. No fim, essa combinação de fatores foi nefasta para o time de transição do Grêmio, que perdeu de virada por 5 a 3 para o Caxias. São duas partidas sem vitória no Gauchão, um contraste com o time dsa Serra, um líder de campanha exuberante. 


O sol de 32° afastou o público da Arena. Quem compareceu, foi brindado, ao menos no primeiro tempo, com o envolvente futebol dos garotos de César Bueno. Descontados os vacilos defensivos, que resultaram nos dois gols do Caxias, o primeiro tempo foi irretocável, passando aos torcedores a certeza de que boa parte das soluções de grupo para a temporada não precisará ser buscada fora.


O estreante Madson, lateral direito trazido do Vasco, mostrou sua vocação ofensiva já a cinco minutos, no primeiro gol do Grêmio. Depois de seu cruzamento, Lima, com malícia, deixou a bola passar, Jean Pyerre chutou para defesa parcial de Gledson e, na volta, Isaque completou para a rede do Caxias.


A primeira desatenção da defesa resultou no gol do Caxias. Aos sete minutos, Rafael Gava bateu falta da esquerda, Ruan, o substituto de Paulo Miranda, custou a saltar e o perigoso Nicolas cabeceou fora do alcance de Bruno Grassi. 


O jogo poderia tomar um caminho perigoso, considerada a experiência do Caxias, que havia goleado o Novo Hamburgo na estreia, confrontada com a juventude gremista. Não foi o que se viu. Ainda que o time de Winck tivesse ameaçado de novo aos 15 minutos, outra vez por Nicolas, após João Paulo proteger a bola com o corpo, o Grêmio adonou-se das ações. 


Logo depois da parada técnica, forçada por um calor sufocante, o time deslanchou de vez. Matheus Henrique, com lucidez, passou armar o jogo, dividindo com Jean Pyerre as funções de levar a bola do meio até a frente. Isaque, discreto em Ijuí, surpreendeu pela rapidez de movimentos e força nos arranques. Pepê, velocista, fez boa parceria com Madson. Aos 25 minutos, Pepê inicia a jogada e dá a Isaque, deslocado pela direita. O cruzamento sai forte, provoca confusão entre os zagueiros e Matheus Henrique, com liberdade, faz 2 a 1. Tudo dava certo. 


Aos 28, Isaque, outra vez, faz passe inteligente para Pepê, que avança e cruza na direção de Jean Pyerre, que, livre, faz 3 a 1. Nicolas, o mais eficiente atacante do Caxias, ainda teve a chance de descontar, de novo de cabeça, aos 37, mas o controle da partida seguia tricolor. Tanto que uma envolvente troca de passes, com rápidos deslocamentos, fez a torcida erguer-se nas cadeiras e gritar olé. É possível que o time tenha se desconcertado, a ponto de dar espaços. 


Aos 45, Bruno Grassi mostrou agilidade e mandou a escanteio chute de Rafael Gava, já dentro da área. Uma nova falha da defesa permitiu o segundo gol caxiense. Eram 48 minutos quando Julinho cruzou alto e Laércio acertou um forte cabeceio, desta vez sem chance para Grassi.


A troca de Tulio Renan por Carlos André deu agressividade ao Caxias. Ainda que o Grêmio tivesse mantido a velocidade de movimentos, o jogo tornou-se perigoso. Nicolas seguiu perturbando a zaga com seus cabeceios. E Madson, atrapalhado, cometeu pênalti, cobrado com classe por João Paulo, que empatou, aos nove minutos.


Matheus Henrique quase desempatou pouco depois, ao percorrer 50 metros pelo lado direito, aproximar-se da área e bater para fora. Alisson, colocado no lugar de Isaque, fez boa jogada a 21 minutos e, mesmo cercado por dois marcadores, deu a Guilherme Guedes, que cruzou para cabeceio perigoso de Lima, por cima. Era a insistência do Grêmio para vencer um time a esta altura já sem os atacantes Nicolas e João Paulo. Só que nenhuma reação seria suficiente para compensar tantos desastres da defesa. 


Aos 23 minutos, Rafael Gava bateu escanteio e Laércio, de joelhos, venceu Grassi, que embolou-se com a bola quase sobre a linha, sem conseguir defendê-la. Era a virada de um time que promete muito no Gauchão.


Cumprida sua missão, o Caxias passou a esperar o Grêmio em seu campo. Só passava a marcar a partir de sua intermediária, com foco em Alisson, que criaria nova chance a 30 minutos, concluída com um chute pífio, para fora. Para sacramentar, aos 49, em falha bisonha, Daniel Cruz fez 5 a 3.


Resumo: a talentosa garotada do Grêmio ainda precisa amadurecer até conseguir segurar um resultado positivo. 


GAUCHÃO, 2ª RODADA, 20/1/2018


GRÊMIO: Bruno Grassi; Madson, Ruan, Mendonça e Guilherme Guedes; Balbino (Patrick, 26'/2°) e Jean Pyerre; Matheus Henrique, Pepê (Tilica, 32'/2º) e Lima; Isaque (Alisson, 14'/2º)


Técnico: César Bueno


CAXIAS: Gledson; Cleiton, Júnior Alves, Laércio e Julinho; Régis, Rafael Gava e Diego Miranda; Tulio Renan (Carlos André, int), Nicolas (Daniel Cruz, 14'/2º) e João Paulo (Geninho, 17'/2º)


Técnico: Luis Carlos Winck


Gols: Isaque (G), a 5 minutos, Nicolas (C), a sete, Matheus Henrique (G), a 25, Jean Pyerre (G), a 28, e Laércio (C), a 48 do primeiro tempo. João Paulo (C), a nove, Laércio (C), a 23, e Daniel Cruz (C), a 49 do segundo.


Cartões amarelos: Nicolas, Diego Miranda, Carlos André (C), Alisson (G)


Expulsão: Carlos André (C)


Arbitragem: Vinicius Amaral, auxiliado por Alduíno Mocelin e Teilor Thomas da Silva


Renda: R$ 181.336,00


Público: 6.172 (4.779 pagantes)


Local: Arena do Grêmio


PRÓXIMO JOGO - GAUCHÃO


24/1/2018, 4ª FEIRA, 19H30MIN


AVENIDA X GRÊMIO


 

Fonte: Gaúcha ZH

Mais notícias desta categoria

Publicidades


Mario Junior designer