Publicidades

29/04/2018 | 21:05 | Esporte

Inter joga bem, mas empata com o Cruzeiro no Beira-Rio

Time de Mano Menezes conseguiu segurar a pressão dos colorados até os minutos finais

André Ávila / Agencia RBS


Inter e Cruzeiro fecharam a rodada de domingo com um 0 a 0 no Beira-Rio. Com o resultado, o Inter passa a ocupar a nona colocação no Campeonato Brasileiro. A boa notícia: o Inter fez uma partida superior e o resultado foi injusto. A má notícia: o adversário era o time B do Cruzeiro, uma vez que os titulares foram poupados para a Libertadores. 


Na arquibancada, em meio à Popular, os campeões mundiais Iarley, Adriano Gabiru e Perdigão reforçavam a torcida colorada. No domingo, o Inter vai ao Maracanã enfrentar o líder do Brasileirão, Flamengo. 


De roupa nova, o uniforme número 1 para 2018, com a camisa no vermelho clássico do clube e com mangas em um tom diferentão de vermelho, o Inter naturalmente teve a iniciativa das ações. Afinal, jogava em casa e diante de um Cruzeiro reserva. 


Pottker, Damião, Patrick e D'Alessandro comandavam o ataque colorado. O ex-Grêmio Marcelo Hermes sofria com os avanças de Pottker pela esquerda de defesa dos mineiros. Até os 20 minutos, o Inter já colecionava três boas conclusões a gol, com D'Alessandro, uma de Fabiano (em falta na pequena área, após recuada de Bruno Silva para o goleiro Rafael) e outra de Pottker. 


Com um jogo decisivo com o Vasco nessa quarta-feira pela Libertadores, o Cruzeiro jogava para se defender no Beira-Rio. Ainda que tenha entrado na rodada como um dos lanternas do Brasileirão, o time de Mano Menezes jogava com os 11 no campo de defesa. O ex-Inter Rafael Sobis era o jogador mais agudo dos mineiros. 


O Inter trocava passes, tentava envolver a defesa do Cruzeiro, mas sem grande efetividade. Mano permitia que o Inter avançasse somente até a intermediária. E o Inter não arriscava chutes de fora da área. Apesar da insistência inicial do Inter, o goleiro Rafael não chegou a ter o seu gol ameaçado. 


A partir dos 30 minutos, o Inter passou a trocar passes em exagero, sem um lance individual ou um cruzamento. Nada que pudesse causar desconforto à defesa adversária. Também não correu riscos, bem verdade. O primeiro tempo chegou ao fim com o Cruzeiro atuando com 10 jogadores. O atacante David sofreu uma lesão muscular nos minutos finais, e mano Menezes preferiu manter o time com um a menos, a fim de proceder a troca somente no intervalo. 


No segundo tempo, com Raniel no lugar de David, no Cruzeiro, o Inter voltou mais empolgado para o jogo. Aos três minutos, D'Alessandro encontrou Patrick quase na pequena área. O bigodudo meia deu de calcanhar e, por pouco, a bola não escapou das mãos de Rafael.


O Inter passou a pressionar o Cruzeiro e praticamente morou na área adversária durante os primeiros 10 minutos. Patrick, de fora da área, por pouco não marcou. Cruzamentos e escanteio a rodo mantiveram o jogo no 0 a 0. O Cruzeiro partia com vontade para os contra-ataques sempre que conseguia. 


Aos 19 minutos, Odair Hellmann sacou Leandro Damião e mandou a campo Lucca. O badalado ataque da Ponte Preta de 2017, Lucca e Pottker, estava com a missão de vencer o clássico. Cinco minutos depois, o Inter perdeu Edenílson, lesionado. Nico foi a campo.


Com o tempo escorrendo pelas mãos, o Inter tratou de acelerar o jogo. Em três lances seguidos, o Inter chegou bem perto do gol. Primeiro, D'Alessandro obrigou Rafael a uma defesa de grande plasticidade. Depois, Lucca bateu de longe, em curva, no travessão e, depois, só não fez o gol porque Rafael buscou no cantinho direito. 


Apesar da pressão colorada, o Cruzeiro conseguiu se segurar até os minutos finais e o Inter amargou um injusto 0 a 0.

Fonte: Gaúcha ZH

Mais notícias desta categoria

Publicidades


Mario Junior designer