Publicidades

23/05/2018 | 12:40 | Praia Notícias

Greve dos caminhoneiros chega ao 3º dia de paralisação com impactos em diversos setores de SC

Rodovias catarinenses têm mais de 40 pontos de atenção e há bloqueios. Indústria, transporte, abastecimento e serviços estão prejudicados

Agricultores se reuniram a caminhoneiros em protesto pela alta do diesel (Denise de Medeiros/NSC TV)


A paralisação dos caminhoneiros chega ao terceiro dia nesta quarta-feira (23) contra o aumento no valor do diesel. Eles voltaram a passar a noite às margens das rodovias e até as 10h pelo menos 40 pontos de atenção nas rodovias em Santa Catarina eram registrados pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) e Polícia Militar Rodoviária (PMRv). Há impactos no abastecimento de postos de combustível, em serviços de prefeituras, na entrega dos Correios, no setores de alimentos, indústria e portos.


A 2ª Vara Federal de Florianópolis concedeu liminar, uma decisão temporária, na terça-feira (22) para impedir que as manifestações dos caminhoneiros venham causar bloqueios nas rodovias federais catarinenses. A Polícia Rodoviária Federal (PRF) esclareceu que a medida e o uso da força só serão feitos em caso de interdição total, o que não ocorreu até esta manhã de quarta.


Pelo menos duas ocorrências de apedrejamento de caminhões foram registradas nesta quarta, conforme a PRF. Na BR-101 em Araranguá e em Maracajá. Nos dois casos os motoristas informaram que manifestantes jogaram pedras contra os caminhões e houve registro de lesões leves.


De acordo com a PRF, na manhã desta quarta, houve um bloqueio na BR-116 em Santa Cecilia de estudantes aderindo a manifestação, dispersado em minutos. Nenhuma outra rodovia federal foi obstruída.


Os caminhoneiros estão concentrados às margens das rodovias, como postos de gasolina, e abordam outros veículos de carga para aderirem ao movimento.


Rodovias federais com interdição (boletim das 6h30)


Joinville - km 26 da BR-101


Mafra - km 7 da BR-116


Papanduva - km 54 da BR-116


Santa Cecília - km 138 da BR-116


São Cristóvão do Sul - km 178 da BR-116


Lages - km 245 da BR-116


Navegantes - km 11 da BR-470


Imbituba - km 282 da BR-101


Içara - km 382 da BR-101


Araranguá - km 421 da BR-101


Sombrio - km 439 da BR-101


Santa Rosa do Sul - km 445 da BR-101


Itajaí - km 116 da BR-101


Campos Novos - km 344 da BR-282


Joaçaba - km 395 da BR-282


Ponte Serrada - km 463 da BR-282


Nova Erechim - km 571 da BR-282


Araquari - km 21 da BR-280


Rio Negrinho - km 123 da BR-280


Canoinhas - km 231 da BR-280


Maracajá - km 402 da BR-101


Indaial - km 68 da BR-470


Xanxerê - km 507 da BR-282


Maravilha - km 606 da BR-282


São Miguel do Oeste - km 645 da BR-282


Rodeio - km 82 da BR-470


Apiúna - km 100 da BR-470


Curitibanos - km 249 da BR-470


São Francisco do Sul - km 3 da BR-280


Águas Mornas - km 41 da BR-282


Campos Novos - km 321 da BR-470


Rodovias estaduais com interdição (boletim 10h)


SC-163/BR282 – Trevo de São Miguel do Oeste


SC-161, km 11 – Trevo de Palma Sola


SC-157, km 4,6 – Trevo de São Lourenço do Oeste


SC-480/ BR-282 – Trevo em Xanxerê


SC-135, km 140 – próximo a Tangará


SC-135, km 119 - próximo ao Trevo de Videira


SC-355, km 29 – Trevo de acesso a Fraiburgo


SC-114, km 190 – próximo ao Posto Zambonatto


SC-350, km 375 – próximo à Santa Tereza, município de Aurora


SC-110, km 296 – portal da cidade de Petrolândia


SC-407 - próximo a Transpetro em Biguaçu


SC-108/ SC-415 – Massaranduba


SC-416, kms 17 e 22 - Itapoá


SC-417, kms 0 e 11 – Garuva


Decisão judicial


A liminar foi pedida pela Advocacia-Geral da União (AGU) contra três sindicatos de caminhoneiros. A multa em caso de descumprimento é de R$ 1 mil por hora. O G1 não conseguiu contato com a Associação Brasileira de Caminhoneiros (Abac) até as 10h.


A Confederação Nacional dos Transportadores Autônomos (CNTA) afirmou que foi notificada da decisão e que avisou as federações de caminhoneiros que bloqueios não são permitidos. Afirmou ainda que 100% dos manifestantes estão obedecendo essa determinação, que os caminhoneiros estão ocupando acostamentos, mas não estão bloqueando estradas.


O Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários do Vale de Araranguá informou que não havia sido notificado da decisão até a noite desta terça e que apoia o movimento dos caminhoneiros.


Impactos


A greve dos caminhoneiros apresenta reflexos em Santa Catarina em diversos setores.


A Cooperativa Central Aurora Alimentos anunciou na terça-feira (22) que vai parar as atividades das indústrias de processamento de aves e suínos no estado nesta quinta (24) e sexta (25). A Seara/JBS de Ipumirim informou que não haverá abate de frangos nesta quarta e quinta "por motivo de força maior".


A Federação das Indústrias de Santa Catarina (Fiesc) também alerta para possíveis prejuízos.


O acesso aos portos catarinenses também está prejudicado, principalmente em Itapoá e São Francisco do Sul.


Há falta de combustíveis em postos de todo o estado. No Oeste catarinense, São Lourenço do Oeste e Siderópolis estão totalmente desabastecidos. Cidades como São Miguel do Oeste e Maravilha têm alguns postos sem abastecimento.


Os Correios informaram às 9h desta quarta que, pela greve, estão suspensas as postagens com dia e hora marcadas, serviços de Sedex 10, 12 e Hoje. Ainda segundo a empresa, pode haver acréscimos de dias em entregas normais, já que a distribuição está comprometida.


A Prefeitura de Criciúma anunciou nesta quarta que interrompeu serviços não-essenciais que dependam de combustível no município. As atividades em obras, como eo uso de máquinas pesadas e caminhões, estarão paralisados. Transportes nas áreas de saúde e educação estão normalizados.


Em Florianópolis, o Aeroporto Hercílio Luz, gerido pela concessionária Floripa Airport, no entanto, informou até as 8h30 não ter o funcionamento prejudicado pela greve dos caminhoneiros.


Adesões ao protesto


Em Araranguá, na BR-101, trabalhadores rurais de sete cidades se uniram ao caminhoneiros para uma manifestação na manhã desta quarta. Eles são de cooperativas e produtores rurais autônomos que estão com o abastecimento das máquinas prejudicadas pelo aumento no diesel.


Por volta das 9h, eles estavam com cerca de 200 máquinas, entre tratores e caminhões, e foram do trevo da cidade até um posto de gasolina do município em protesto. A rodovia não chegou a ser bloqueada, já que foi utilizada em boa parte do trajeto o acostamento.

Fonte: G1

Mais notícias desta categoria

Publicidades


Mario Junior designer