Publicidades

27/06/2018 | 06:16 | Praia Notícias | Polícia

Briga por cobertor motivou o assassinato de um jovem em Chapecó, aponta Delegado


A Polícia Civil (PC) deverá concluir nos próximos dias o inquérito sobre o homicídio de David Padilha, de 19 anos, que aconteceu no dia 3 de junho, na rua 21 de Agosto, bairro Seminário, em Chapecó. O rapaz foi morto com três golpes de faca, por volta das 6h da manhã e a motivação teria sido um cobertor.


Após o crime, a Polícia Civil começou a investigar o caso. Segundo delegado Vagner Papini, da Divisão de Investigação Criminal (DIC), através dos vestígios de sangue que foram encontrados no local, a polícia constatou que o caso iniciou-se em uma casa que fica nas proximidades, aos fundos de um terreno. Lá, os policiais encontraram vestígios de sangue, em uma faca e na pia do banheiro.


A investigação descobriu que, momento antes do crime acontecia uma festa no local. “Nessa residência estavam cinco pessoas, três homens e duas adolescentes. O autor do crime seria um dos integrantes do grupo, onde participavam de uma confraternização”, que teria iniciado por volta das 18h, regada com ao menos quatro garrafas de uísque, segundo o delegado.


Em determinado momento, o suspeito e David teriam se desentendido por conta de uma manta para se aquecer. “O autor, de 19 anos, que seria o irmão do proprietário da residência, só possuía um cobertor e, naquela madrugada, fazia muito frio”, afirma o delegado. Padilha teria ficado agressivo por não receber a coberta e começou a dar chutes em uma das portas da casa.


Neste momento, o suspeito do crime levantou-se, foi até onde estava David e questionou:


Suspeito: “Porque você está fazendo isso na casa do meu irmão”.


Vítima: “Nossa seu eu soubesse que seria tão ruim assim não teria vindo aqui”.


Segundo o delegado, David teria desferido um soco no suspeito, mas os ânimos se acalmaram e todos foram dormir. Momentos mais tarde, Padilha teria voltado a dar socos e chutes na porta e janela da casa. “O autor levantou-se, colocou uma faca de cozinha na cintura e foi até a vítima para tirar satisfações. Neste momento, ambos saíram do terreno e foram até a rua onde entraram em luta corporal”, contou o Papini


Em determinado momento, a vítima teria pegado o suspeito pelo pescoço, mas foi esfaqueado três vezes, sendo dois golpes no tórax e um no braço. David tentou fugir, mas caiu e morreu na rua.


Fuga


O suspeito tentou-se esconder na casa de uma das testemunhas, mas não foi autorizado, momento que fugiu do local. Diante dos levantamentos feitos, a Polícia Civil conseguiu chegar até o endereço onde a família do suspeito morava.


Testemunha


Uma testemunha contou que David não estava segurando o autor pelo pescoço. Fato que levou o delegado a entender que, o suspeito do crime não teria agido em legítima defesa. “Por isso representamos pela prisão preventiva desse autor, o qual foi deferido pelo Poder Judiciário e com manifestação favorável pelo Ministério Público”, explicou Papini.


O suspeito apresentou-se na delegacia na última sexta-feira (22), com o advogado, onde confessou o crime. Ele está preso à disposição da Justiça.


Conclusão


O inquérito deverá ser encerrado nos próximos dias. “Precisamos juntar os laudos periciais, feitos pelo Instituto Geral de Perícias. Ouviremos mais três testemunhas”, antes da conclusão da investigação, comentou Vagner Papini.


A vítima e o autor possuem longo histórico criminal por furto, roubo, tráfico de drogas e tentativa de latrocínio.

Fonte: Rádio Sonora FM/Clic RDC

Mais notícias desta categoria

Publicidades


Mario Junior designer