Publicidades

06/07/2018 | 17:23 | Esporte

Brasil perde para a Bélgica e dá adeus à Copa do Mundo

Time de Tite perdeu por 2 a 1 nas quartas de final da competição

SAEED KHAN / AFP


Na terra dos Tártaros, na bela Kazan, a Copa da Rússia acabou para o Brasil. Nesta sexta-feira (6), na metade da tarde brasileira, a Seleção foi derrotada pela Bélgica por 2 a 1. Foi uma má atuação, com destaques negativos para os volantes Fernandinho e Paulinho e os atacantes Willian e Gabriel Jesus.


A Bélgica tinha um plano. Passou o primeiro tempo esperando, esperando. Colocou uma tranca na defesa, com três zagueiros e mais um ou dois auxiliares que recuavam quando o Brasil tinha a bola. À frente deles, mais três marcadores. E, na linha divisória do gramado, à espreita para o contragolpe, os perigosos Hazard e Lukaku.


O Brasil não esperou coisa alguma. Foi para o ataque. Neymar estava bem vigiado por dois, às vezes três marcadores, mas, ainda assim, ele vez em quando conseguia levar vantagem. O problema é que outros jogadores do Brasil estavam muito mal. Willian e Gabriel Jesus eram inoperantes. Nada acontecia quando a bola caía nos pés deles. Mas o maior drama estava no meio-campo. Fernandinho e Paulinho faziam jus aos seus diminutivos: jogavam um futebol minúsculo. Havia um vazio na intermediária brasileira e era por ali que o jogo dos belgas se desenvolvia.


Para piorar a situação, o time de Tite estava sem sorte. Se algo podia dar errado, dava. Por exemplo: aos 7 minutos, Thiago Silva podia ter marcado: a bola bateu em seu joelho depois de um escanteio, mas, em vez de pingar no gol, acabou se chocando com a trave. Dois minutos depois, foi Paulinho quem, livre na área, bateu torto na bola. O que, no caso, não foi falta de sorte. Foi ruindade mesmo.


A Bélgica contra-atacou aos 12 minutos e conseguiu um escanteio. Hazard cobrou da esquerda, a bola bateu no braço de Fernandinho e entrou: 1 a 0.


O Brasil se jogou para o ataque. Neymar deu alguns dribles, sem objetividade. E Coutinho chutou a gol. Ele é um chuta-chuta. Mas a bola sempre batia nas pernas dos zagueiros. A Bélgica se manteve firme, contra-golpeando com alguma facilidade, devido ao espaço que existia no meio-campo brasileiro. Foi  em um desses lances que o forte e rápido atacante Lukaku apanhou a bola, evitou a marcação, avançou pelo meio e passou para De Bruyne, que chutou à meia-altura, no canto: 2 a 0.


No segundo tempo, Tite tirou o pouco participativa Willian e pôs Firmino. Que melhorou um pouco o ataque, não muito. Aos cinco minutos, Marcelo chutou cruzado, forte, a bola passou em frente ao gol de Curtois e saiu. Aos 7, Neymar entrou na área a drible e foi derrubado. Tite pediu o uso do VAR. O juiz não atendeu. Aos 9, Neymar invadiu a área de novo e a zaga tirou para escanteio. Aos 10, Gabriel Jesus foi derrubado por Kompany. Pênalti. Mas o árbitro não deu.


O Brasil pressionava, o Brasil atacava sem parar. Aos 12, Douglas Costa entrou em lugar de Jesus. Aos 16, Fernandinho, de longe o pior em campo, perdeu a bola no campo de ataque e a Bélgica saiu em velocidade. Harzard chutou para fora. As coisas estavam dando errado. Neymar não conseguia mais driblar. Os jogadores da Bélgica pareciam maiores, mais fortes. O Brasil parecia desanimar.


Aos 30, finalmente, Coutinho cruzou da esquerda e Renato Augusto, que havia entrado em lugar do péssimo Paulinho, cabeceou para o gol: 2 a 1. Aos 32, Neymar obteve vantagem, invadiu a área, passou para Firmino, que chutou para cima. Douglas Costa, agora, era o principal atacante do Brasil, investindo em velocidade pela direita, cortando para dentro, chutando ou cruzando. Aos 35, Renato Augusto recebeu sozinho, na meia-lua. Era só entrar na área e empatar o jogo. Mas ele chutou para fora.


A Bélgica fazia cera, seus jogadores caíam, o goleiro demorava para cobrar tiros-de-meta. Aos 37, Neymar avançou pela esquerda e tocou livre para Coutinho, que chutou torto, para fora. Aos 90 minutos, Neymar bateu em curva, no ângulo, e o goleiro Courtois fez a defesa da sua vida. O jogo acabou em chorou para os jogadores de verde-amarelo.


COPA DO MUNDO – QUARTAS DE FINAL – 6/7/2018


BRASIL


Alisson; Fagner, Thiago Silva, Miranda e Marcelo; Fernandinho, Paulinho (Renato Augusto), Willian (Roberto Firmino) e Philippe Coutinho; Neymar, Gabriel Jesus (Douglas Costa). Técnico: Tite


BÉLGICA


Courtois; Alderweireld, Kompany e Vertonghen; Witsel, Fellaini, Meunier e Chadli; De Bruyne, Lukaku e Hazard. Técnico: Roberto Martínez 


Gols: Fernandinho (contra) e Kevin De Bruyne (Bélgica); Renato Augusto (Brasil) 


Cartões amarelos: Fagner e Fernandinho (Brasil); Alderweireld e Meunier(Bélgica)


Público:  42.873 


Local: Arena Kazan

Fonte: Gaúcha ZH

Mais notícias desta categoria

Publicidades


Mario Junior designer