Publicidades

29/08/2018 | 05:33 | Esporte

Grêmio vence o Estudiantes nos pênaltis e avança às quartas da Libertadores

Tricolor superou os argentinos no tempo regulamentar e nas cobranças

Everton (D) marcou o primeiro gol da partida na Arena (André Ávila / Agencia RBS)


O Grêmio está classificado para as quartas de final da Libertadores. De forma eletrizante, venceu o Estudiantes por 2 a 1 no tempo normal, com direito a um gol nos acréscimos do segundo tempo marcado por Alisson, quando a vaga parecia perdida, e definiu a classificação nos pênaltis, por 5 a 3. Agora, o adversário será o Atlético Tucumán. E o sonho do tetracampeonato da América segue vivo.


Marcar cedo o primeiro gol era o sonho de toda a torcida, como forma de eliminar a vantagem que o Estudiantes havia obtido em Quilmes. E ele veio na forma de uma bela construção. Aos cinco minutos, Maicon distribuiu a Jael, quase no limite da área. Dos pés do centroavante, saiu uma assistência para Everton. Dentro da área, o atacante, com classe, encobriu Andújar e fez 1 a 0.


Quem poderia esperar, no entanto, que um zagueiro de atuações sempre impecáveis  como Geromel fosse falhar? Foi o que ocorreu apenas três minutos mais tarde. Impetuoso, Lucas Rodríguez antecipou-se a Jailson e partiu pelo lado esquerdo na direção da área do Grêmio. A torcida nem se preocupou, porque a dividida seria com Geromel. Só que faltou firmeza ao zagueiro, que, batido, apenas viu o argentino aproximar-se da área e vencer Grohe. Uma sensação de desconforto espalhou-se pelas cadeiras da Arena. Agora, seriam necessários dois gols para assegurar a classificação sem o drama dos pênaltis.


Seguiu-se, então, um roteiro que tem marcado a maioria dos últimos jogos do Grêmio. Superior em posse de bola, em média de 78%, o time gastou boa parte de sua energia em troca de passes. A bola circulava na frente da área do Estudiantes, mas a penetração era impedida por uma linha composta por três zagueiros, todos de elevada estatura. Faltava o arremate, providência óbvia para quem precisa fazer gol. Maicon, nervoso, cometia faltas, uma delas punida com cartão amarelo. Também tentava os passes longos, ao perceber que uma eventual condução de bola esbarraria na marcação. O Grêmio só voltou a chutar aos 24 minutos. Depois de dois dribles pelo lado esquerdo, Everton conduziu a bola para o centro e arrematou muito alto. 


De novo, não havia efetividade pelos lados do campo. Léo Moura, bem mais acionado do que Bruno Cortez, executava com boa técnica a primeira parte da jogada, mas errava o passe final. Satisfeito com o resultado, que lhe assegurava a classificação, o Estudiantes não se constrangia em apenas se defender. Aos 41, Luan desperdiçou oportunidade, ao tentar o chute quase da linha de fundo, forçando defesa de Andújar.


O segundo tempo teve a tensão esperada. Com apenas dois minutos, Sanchez e Léo Moura já haviam recebido cartão amarelo. Com a bola em andamento, nada mudou. O Grêmio, já com Alisson no lugar de Ramiro, seguiu com total predomínio, contra um acuado Estudiantes. Diferentemente da primeira etapa, o time chutava, passando esperança aos seus torcedores. Aos nove, Léo Moura, quase no limite do campo, cruzou para Jael, que errou a bicicleta. Um minuto mais tarde, na frente da área, o centroavante concluiu alto. Bem melhor foi o chute de Jailson, aos 12 minutos, para uma decisiva defesa de Andújar. Aos 14, a falta batida por Jael desviou na barreira e foi a escanteio.  


A passagem do tempo deixava a torcida aflita e intranquilizava o time. A consequência era a perda da precisão nos passes. Everton, que seguia como o atacante mais perigoso, passava a ter uma redobrada marcação e via sua produtividade cair. Renato reforçou de novo o ataque, trocando Léo Moura por André. Que, em sua primeira jogada, a 26 minutos, criou uma jogada que por pouco não resultou em gol. Ele cruzou da direita e Jael, dentro da área, viu seu chute desviar em Campi e ainda atingir a trave antes de sair. Em outro bom lance de André, a 29 minutos, a bola foi endereçada por ele a Luan, que facilitou na tarefa de Andújar com um chute fraco.


Com Pepê no lugar de Jailson e muito mais na base da superação do que de forma organizada, o Grêmio seguiu no ataque. Numa das últimas chances, Jael ainda tentaria nova cobrança de falta, sem sucesso.


Quando as esperanças estavam quase esgotadas, Alisson desviou de cabeça uma cobrança de falta e marcou o gol da vitória no tempo regulamentar.


Nos pênaltis, Maicon, Everton, Jael, Alisson e André fizeram os gols. Campi perdeu, e o Grêmio ficou com a vaga com a vantagem de 5 a 3.

Fonte: Gaúcha ZH

Mais notícias desta categoria

Publicidades


Mario Junior designer