Publicidades

17/09/2018 | 22:30 | Esporte

Inter perde para a Chapecoense e deixa a liderança do Brasileirão

Com 50 pontos, contra os 49 do Colorado, o São Paulo de Aguirre volta a ser líder da competição

Patrick jogou abaixo do esperado na Arena Condá - Ricardo Duarte / Inter


Um Inter irreconhecível foi à Arena Condá e obteve o mesmo resultado de sempre em Chapecó: uma derrota. O 2 a 1 de virada da Chapecoense sobre o Inter teve requintes de drama, com o goleiro Jandrei defendendo um pênalti de Leandro Damião aos 49 minutos do segundo tempo.


Além de perder o jogo, a equipe de Odair Hellmann deixou a liderança do Campeonato Brasileiro, que agora pertence ao São Paulo. Nico marcou de pênalti para o Inter, Leandro Pereira empatou e virou. No domingo (23), o Inter terá um novo clássico pela frente: enfrentará o Corinthians, na Arena Itaquera. Victor Cuesta, expulso em Santa Catarina, está fora. Rodrigo Dourado e Nico López, contundidos, não têm presença confirmada na partida.


Apesar dos extremos na tabela que separam Inter e Chapecoense, o jogo na Arena Condá em nada refletiu a diferença entre o time que disputa o título do Campeonato Brasileiro e o que briga para não ser rebaixado. Em uma partida de ataques de lado a lado — e abaixo do que o Inter vem apresentando —, a equipe de Odair Hellmann estava demasiadamente dependente das jogadas agudas de Nico López. Por diversas vezes, houve ligação direta defesa-Nico, na esperança que o camisa 7 pudesse colocar a bola no chão e resolver na frente.


Aos 25 minutos, porém, ocorreu a ligação direta do bem. Uma que deu certo. Mas dessa vez pela esquerda. Victor Cuesta lançou Pottker, que ganhou na corrida do ex-Grêmio Rafael Thyere, invadiu a área e foi ensanduichado por Thyere e pelo ex-goleiro da base colorada Jandrei. Nico López cobrou e converteu. Um gol histórico: o primeiro do Inter na nova Arena Condá. 


Com o 1 a 0 no placar, o Inter cedeu espaço para os donos da casa. A Chapecoense foi ao ataque. Aos 32 minutos, Jonatan Alvez derrubou Victor Andrade a milímetros da área. Diego Torres cobrou a falta e Marcelo Lomba ficou observando a bola acertar o travessão e ganhar as arquibancadas.


Mas a Chapecoense seguiu atacando, enquanto que o Inter recuava cada vez mais. Aos 36, Eduardo, livre, cruzou para a área. Rodrigo Moledo estava na bola, mas falhou, enquanto que Leandro Pereira saltou as suas costas e cabeceou no canto direito de Marcelo Lomba: 1 a 1. O primeiro tempo chegou ao fim com os donos da casa pressionando o Inter. Um Inter que mostrou bem menos do que em suas recentes apresentações. 


O segundo tempo começou de maneira parecida com o final do primeiro tempo: com a Chapecoense propondo o jogo e com o Inter se defendendo. Os jogadores colorados pareciam desatentos. Até parecia que todo o foco do time havia ficado no Gre-Nal 417. O Inter não conseguia reagir e Odair Hellmann não fazia menção de mexer na equipe.


Aos nove minutos, um momento raro: contra-ataque do Inter. Nico López lançou Jonatan Alvez, que correu desde a intermediária e, ao chegar na frente de Jandrei, chutou em cima do goleiro. Parecia questão de tempo a virada da Chapecoense. Aos 13 minutos, Leandro Pereira (marcado por Iago) cabeceou sozinho - de novo. Dessa vez, porém, Lomba defendeu.


Em seguida, Damião substituiu Jonatan Alvez. Mas o panorama do jogo pouco se alterou. A marcação do Inter no meio-campo inexistia. Nico saiu contundido aos 28 minutos. D'Alessandro entrou em seu lugar. Aos 33 minutos, Leandro Pereira girou e bateu a gol. A bola tocou na mão de Victor Cuesta e o árbitro marcou o pênalti - e expulsou o argentino. Leandro Pereira cobrou e virou o jogo: 2 a 1 para a Chapecoense.


Com Damião e D'Alessandro, e um jogador a menos, o Inter tentou a reação. Camilo perdeu um gol na pequena área. Em seguida, Damião foi derrubado na área. Ele mesmo cobrou o pênalti, aos 49 minutos, e Jandrei defendeu. No lance seguinte, Damião mergulhou e deu um carrinho na pequena área, e Jandrei defendeu de novo. A equipe de Odair não era derrotada desde o primeiro turno, quando perdeu para o América-MG. Curiosamente, também sem o esteio da defesa, Rodrigo Dourado. 

Fonte: Gaúcha ZH

Mais notícias desta categoria

Publicidades


Mario Junior designer