Publicidades

04/10/2018 | 06:47 | Geral

"Ele está super bem, nível de evolução super potente. Ele está começando a ficar milésimos de segundo de pé. Vivemos um

'71 Leões' fala sobre 'dor e amor', conforme a autora Laura Patrón. Há cinco anos, em meio a uma crise da doença, João Vicente, que tinha um ano e oito meses, teve um AVC isquêmico que o deixou sequelas motoras

Mãe lança livro com relato intenso dos 71 dias em que morou no hospital junto com o filho ? Giselle Sauer/divulgação


A mãe de um menino com uma doença rara resolveu escrever as experiências vividas nos 71 dias que ficou no hospital com a criança. Há cinco anos, a publicitária Laura Patrón, hoje com 29 anos, descobriu que o filho João Vicente tinha a Síndrome Hemolítica Urêmica atípica (SHUa), condição que provoca falhas no sistema imunológico.


Em meio a uma crise da doença, o menino, que na época tinha um ano e oito meses, teve um AVC isquêmico que deixou sequelas motoras. “Em um domingo ele estava no parquinho brincando, e na segunda foi para o hospital e não saiu mais. Ele ficou 50 dias só na UTI”, conta Laura.


No livro "71 Leões", a autora fala sobre os dois meses e meio que ficou no hospital e de todos os sentimentos complexos que sentiu. Em formato de diário, a obra intercala cartas da mãe para o filho, relatos autobiográficos e a sequência dos acontecimentos, dia após dia.


“O livro é a história que eu nunca contei. Foi uma experiência muito intensa. Eu ficava muito sozinha, comecei a registrar o que eu sentia. Eu estava com tanto medo de perder o João, que naquele momento registrar era guardar as memórias, já que eu não sabia quantas memórias eu ainda ia ter dele. Eu queria guardar qualquer pedacinho que eu estava sentindo”, conta Laura.


O livro reúne mais do que relatos da experiência com a maternidade, conforme a autora. A obra fala "sobre dor e amor" e tenta desromantizar a mãe que sofre.


“Eu quero que seja uma história real. E que as pessoas se identifiquem justamente pela proximidade com ela. Eu sofri pra caramba. Mas não quero transformar isso em uma luta ou em algo bonito. Me orgulho da nossa felicidade, daquilo que fizemos a partir da dor, não daquilo que doeu”, explica.



O título do livro faz referência à contagem de tempo criada por Laura. "Fiquei fora do ar e me desconectei de tudo. Eu me perdi, não sabia mais que dia da semana era, a data do mês, perdi a noção. Para não me perder totalmente, eu comecei a contar os dias em leões. Na época tinha um pouco do clichê 'estamos matando um leão por dia'. Depois comecei a entender que os leões chegavam para nos dar força", explica.


No ano passado, Laura organizou uma campanha para arrecadar recursos e pagar o tratamento de saúde do filho. Após diversos tipos de terapia, hoje com 6 anos de idade, João já senta sozinho, desenha e voltou a movimentar as mãos.


"Ele está super bem, nível de evolução super potente. Ele está começando a ficar milésimos de segundo de pé. Vivemos um dia de cada vez", conta a mãe.


A pré-venda do livro já está disponível e vai até dia 21 de outubro.



 


Fonte: G1

Mais notícias desta categoria

19/10/2018 | 07:50

TV Japonesa em Porto Mauá

Publicidades


Mario Junior designer