Publicidades

11/11/2018 | 19:06 | Esporte

Grêmio vira no fim, vence o Vasco e entra no G-4

Jael e Matheus Henrique marcaram os gols, e o time passou o São Paulo na classificação

Jael marcou o primeiro gol do Grêmio em partida na Arena - Carlos Macedo / Agencia RBS


Poucas vezes, nas últimas rodadas, o ingresso no G-4 esboçou-se de forma tão nítida para o Grêmio. No sábado, o São Paulo havia tropeçado contra o Corinthians e uma vitória contra o Vasco, na Arena, bastaria para que a missão fosse cumprida. O time, no entanto, produziu menos e só aliviou sua torcida aos 49 minutos, em chute de Matheus Henrique que culminou com falha de Martín Silva. Com a vitória de 2 a 1, a equipe entrou na zona de classificação direta para a Libertadores. 


Renato optou por Cícero no lugar de Jean Pyerre e não viu sua confiança ser correspondida. Não que o ex-jogador do São Paulo tenha sido o maior responsável pela dificuldade técnica vivida pelo time no primeiro tempo. O que faltou a Cícero foi maior rapidez na transição e chegada mais efetiva na frente, funções que Jean Pyerre executa com maior desenvoltura. Assim, como pouca armação, o Grêmio tornou-se quase óbvio, ao apostar em passes longos para que Everton resolvesse. Como o Vasco concentrou muitos jogadores no meio e protegeu sua defesa, conseguiu um bom controle defensivo sobre o ataque gremista.


Quando não atacava pela esquerda, com Everton, o Grêmio contava, na direita, com a capacidade técnica e a competência de Léo Moura nos cruzamentos. De resto, foi um time sem soluções, sujeitos a riscos que não são habituais quando atua na Arena. O Vasco foi o primeiro a chutar, com o habilidoso Thiago Galhardo, aos cinco minutos, para defesa de Paulo Victor. O Grêmio respondeu no arremate de Jael, depois de girar na área, interceptado por Ricardo. Aos 12 minutos, ocorreu o que ninguém esperava. Thiago Galhardo partiu em velocidade pelo meio, sem ser alcançado pelos marcadores, passou a Maxi López e recebeu uma desconcertante devolução de calcanhar, entrou na área e venceu a Paulo Victor, para colocar o Vasco em vantagem.


Léo Moura, então, virou figura decisiva no jogo. Aos 14. cruzou para Everton, sozinho, cabecear por cima. Aos 19, como se não sentisse os rigores do sol, o lateral-direito de 40 anos ganhou a dividida de Ramon e, de novo, foi certeiro em sua assistência para Jael, de cabeça, fazer 1 a 1.  


O Grêmio teria só mais uma chance clara, aos 33 minutos, desperdiçada por Everton, que bateu muito alto, depois de receber de Jael. O surpreendente Vasco ainda seguiria apostando na velocidade de Thiago Galhardo, Yago Pikachu e Marrony e na experiência de Maxi López para perturbar a defesa. Seria preciso uma cobrança forte de Renato para ligar o time no segundo tempo. 


Aos 13 minutos do segundo tempo, quando o Grêmio, apesar da insistência contra um adversário satisfeito com o resultado, só havia concluído uma vez, em cabeceio de Paulo Miranda, Renato atendeu aos pedidos das cadeiras e trocou Cícero por Jean Pyerre. Seria preciso, porém, uma ação mais determinada de Alisson, Everton e Jael para que o time desse aos torcedores maior esperança de uma vitória.


Alisson tentou fazer sua parte e assustou a Martín Silva em cobrança de falta a 27 minutos. A essa altura, Maicon já havia saído por cansaço e Renato apostava na juventude de Matheus Henrique para manter qualidade na saída de bola. O time, contudo, via-se incapaz de superar a barreira defensiva que o Vasco havia montado. Léo Moura já atacava menos do que no primeiro tempo. E Cortez, numa incômoda rotina, desperdiçava cruzamentos. Geromel teve chance de desempatar aos 35, depois de rebote de arremate de Everton. A chance mais clara, no entanto, foi Marinho quem desperdiçou, em cruzamento de Alisson, menos de um  minuto após entrar no lugar do cansado Léo Moura.


Sobrou disposição nos minutos finais, é inegável. Premiada com o chute de Matheus Henrique, que garantiu a vitória suada.

Fonte: Gaúcha ZH

Mais notícias desta categoria

Publicidades


Mario Junior designer