Publicidades

07/03/2019 | 08:12 | Política

Sartori critica reportagem sobre rombo nas contas do Estado

Ex-governador diz que "a manchete de capa e o enfoque editorial são claramente destrutivos" e que "não houve abordagem desse gênero com governos que agravaram a situação financeira"

Ex-governador afirmou que a sua administração reduziu um rombo projetado de R$ 25 bilhões para R$ 8 bilhões - Lauro Alves / Agencia RBS


O ex-chefe de Estado declarou que "a manchete de capa e o enfoque editorial são claramente destrutivos" e que "não houve abordagem desse gênero nem mesmo com governos que agravaram a situação financeira do Estado".


Ainda segundo Sartori, sua administração "reduziu um rombo projetado de R$ 25 bilhões para R$ 8 bilhões" no acumulado dos quatro anos de mandato. Ele também cita pontos como a redução de gastos e o pagamento dos reajustes salariais aprovados na gestão anterior. O emedebista disse ter enfrentado "a maior crise econômica da história do país", o que consta na apuração de GZH, ao expor a queda brusca na arrecadação ocorrida em 2015.


Sartori afirmou ter entregado "um Estado muito melhor do que recebemos". E concluiu dizendo que seguirá com a "postura discreta e colaborativa, permitindo que o novo governo cumpra o seu papel".


Leia a manifestação de Sartori na íntegra:


"Hoje o Grupo RBS dirige mais um ataque editorial à minha reputação e do nosso governo. Isso começou a acontecer logo depois da eleição. Não sei quais interesses os motivam, mas é algo injusto, além de notadamente orquestrado. 


O rombo das contas públicas não pode ser pessoalizado. Isso é irresponsável do ponto de vista jornalístico e histórico, parte de uma cultura destrutiva e que sempre tenta desunir os gaúchos. Fomentam confrontos e polêmicas por meio de algo artificial, que não se sustenta.


A matéria tem contrapontos e análises, mas a manchete de capa e o enfoque editorial são claramente destrutivos. Não houve abordagem desse gênero nem mesmo com governos que agravaram a situação financeira do Estado. 


Essa tentativa de desconstrução não irá sobrepor-se a tudo o que construímos juntos. Nosso governo reduziu um rombo projetado em R$ 25 bi para R$ 8 bi. Fizemos a maior reforma administrativa da história. Reduzimos gastos, cortamos cargos e secretarias e recuperamos financiamentos. Nenhum outro Estado fez tanto em quatro anos. 


Pagamos todos os aumentos deixados pelo governo anterior, além do crescimento vegetativo da folha. Enfrentamos a maior crise econômica da história do país. E, mesmo assim, entregamos um Estado muito melhor do que recebemos. 


Avançamos nas negociações do Regime de Recuperação Fiscal e adotamos diversas medidas de médio e longo prazo, algumas das quais estão tendo continuidade.


Seguirei com minha postura discreta e colaborativa, permitindo que o novo governo cumpra o seu papel. Mas não posso calar diante de um enfoque editorial eivado de injustiça. Vamos em frente. O Rio Grande é maior! Vida que segue.


José Ivo Sartori"

Fonte: Gaúcha ZH

Mais notícias desta categoria

Publicidades


Mario Junior designer