Publicidades

13/03/2019 | 23:43 | Esporte

Com dois gols de Nico, Inter vence o Alianza Lima pela Libertadores

Resultado manteve o time na liderança isolada do Grupo A, com 100% de aproveitamento

Marco Fávero / Agencia RBS


Um Beira-Rio pulsante, efervescente, animado e lotado matou a saudade da Libertadores da melhor maneira. Com um primeiro tempo luxuoso e uma atuação memorável de Nico López, o Inter venceu o Alianza Lima por 2 a 0 e manteve a liderança do Grupo A. Com seis pontos, tem de quatro vantagem sobre o River Plate, segundo, e cinco sobre Palestino e Alianza Lima, que ficam na parte de baixo do grupo.


Autor de dois gols nas duas partidas anteriores, Rafael Sobis foi a novidade no time de Odair. Ele ganhou o lugar de Pedro Lucas e compôs o trio de ataque com Nico López e Pottker. Atrás deles, Dourado, Edenilson e Patrick.


Com apoio da torcida, o Inter tratou logo de atacar. No primeiro minuto, o Alianza tentou dar bote no campo de ataque, e o Inter escapou. Sobis acionou Pottker, que devolveu ao camisa 23. Na corrida, porém, Sobis se atrapalhou e perdeu o ângulo para concluir. No lance seguinte, uma troca de passes que começou com Pottker, passou por Nico, Patrick, Edenilson e Sobis, terminou com Iago, na área, batendo para o goleiro espalmar para fora.


A pressão era intensa, o sufoco, total. Sem nem respirar, os peruanos limitavam-se a afastar a bola de sua própria área. Mas aos sete minutos não teve jeito. Pottker tabelou com Zeca pelo lado direito. Enquadrou o corpo e viu Nico pedindo pelo meio. O uruguaio dominou, ajeitou e disparou um chute rasteiro, seco: Inter 1 a 0.


Depois do primeiro, quase saiu o segundo. Sobis recebeu pelo meio, girou e bateu, por cima. A reação dos visitantes chegou aos 14 minutos. Em uma falta cobrada para a área, ninguém do Inter afastou, ninguém do Alianza chutou e a bola ficou quicando na área. Ramirez apanhou a rebatida e Marcelo Lomba fez um milagre.


O lance poderia animar os peruanos. Mas Nico tratou de conter. Aos 19, ele foi lançado por Sobis, e não teve dúvidas: se arrumou e fuzilou. A bola bateu em um zagueiro, desviou e matou o goleiro. Antes dos 20 minutos, 2 a 0.


O gol deu ainda mais confiança para o Inter, que mantinha intensos o ritmo e a movimentação. A prova é que, aos 30 minutos, ao dar combate pelo lado direito — o oposto ao que foi escalado —, Patrick sentiu uma lesão na perna e teve de deixar o campo. Nonato entrou. Naturalmente, com a vantagem ampliada, o ímpeto diminuiu e o time administrou o resultado até o intervalo.


Odair não mexeu no time no vestiário. O Alianza levou perigo logo no começo. Manzaneda achou espaço atrás da defesa colorada e entrou na área. Dourado deu combate e o atacante caiu, alegando ter sido atingido. Próximo ao lance, o árbitro nada marcou. 


Pouco depois, o Inter voltou a assustar. Moledo fez jogada de ponteiro pela direita, avançou e cruzou. A bola chegou a Nico, que tentou concluir duas vezes, mas o goleiro defendeu.


Aos 19 minutos, a segunda troca de Odair: D'Alessandro, ovacionado desde o momento em que foi anunciado no telão, entrou no lugar de Pottker. A substituição não foi para animar o estádio, até porque a essa altura, o Inter mais se preocupava em administrar resultado e não correr riscos do que em marcar mais gols, e mesmo assim a torcida apoiava e cantava.


Com D'Alessandro em campo, pelo lado direito, o Inter criou duas chances. Numa, o argentino cobrou escanteio e Cuesta cabeceou para boa defesa do goleiro. Na outra, após tabela, Sobis ajeitou e chutou fraco.


A última troca do Inter foi aos 32. Cansado, Rafael Sobis saiu. Pedro Lucas foi o substituto. O centroavante quase marcou aos 37. Ele recebeu de Nonato, entregou para Edenilson e se posicionou. A bola foi devolvida e ele bateu, por cima.


Depois disso, foi só esperar o tempo passar e comemorar os 100% de aproveitamento.

Fonte: Gaúcha ZH

Mais notícias desta categoria

Publicidades


Mario Junior designer