Publicidades

04/03/2021 | 22:06 | Esporte

Inter empata com o Pelotas fora de casa pelo Gauchão

Colorado vencia até os acréscimos da partida, quando time da Zona Sul buscou o resultado de igualdade

Ricardo Duarte / Internacional/Divulgação

Sob os olhares de Miguel Ángel Ramírez, o Inter deixou escapar nos acréscimos a segunda vitória no Gauchão. A gurizada colorada saiu atrás, conseguiu virar, mas permitiu o empate do Pelotas, na Boca do Lobo, com um gol aos 48 minutos do segundo tempo. O 2 a 2 tirou os 100% de aproveitamento após duas rodadas. A próxima, contra o São Luiz, deve ser a última do técnico Fábio Matias, antes de o espanhol assumir.


O futuro treinador estava nas cabines, munido com um tablet, e viu Fábio Matias praticamente repetir o time da estreia. A única mudança foi a presença de Heitor, filho da Região Sul, que antecipou o fim das férias (assim como  Peglow, Yuri Alberto e agora Maurício), e ficou à disposição. No Pelotas, um treinador que conhece todos os jogadores adversários: Ricardo Colbachini era técnico da base colorada antes de aceitar o desafio no Interior.


O campo apresentava poças d'água devido à chuva que caiu na cidade ao longo do dia e se intensificou depois do apito inicial, o que deixou o começo mais lento, estudado. Só aos 12 minutos veio o primeiro chute. Bustamante armou pela direita e cruzou. A defesa afastou parcialmente e Marcelo bateu ao lado da trave, assustando Daniel.

 

Lento e com pouca criatividade, o Inter pouco conseguia ameaçar os donos da casa. Só chegava a partir de bolas paradas. Lucas Ramos alçou para a área e Johnny cabeceou, mas nas mãos do goleiro.

 

Por falar em goleiro, aos 20 minutos, o melhor do Inter na primeira rodada cometeu um erro grosseiro. Marcelo pegou pelo lado direito e bateu (ou cruzou?). O lance surpreendeu Daniel que, desatento, estava mal posicionado, ainda tentou ir com o pé e acabou buscando a bola dentro do gol: Pelotas 1 a 0.

 

O gol animou os mandantes, que chegaram a levar perigo em jogada de Wesley, pela esquerda, passando por Heitor mas concluindo mal. A gurizada colorada, porém, conseguiu responder. E foi letal.

 

Aos 29, a defesa do Pelotas cometeu uma falta desncessária na lateral. Lucas Ramos cruzou, a zaga afastou parcialmente e Guilherme Pato pegou a sobra. O atacante devolveu para a área e Johnny, cheio de estilo, cabeceou para empatar.

 

A igualdade manteve o jogo com a bola pelo chão, e o gramado suportava bem mesmo com a chuva. Assim, a partida era bem jogada, sem chutões em excesso. Foi na base da troca de passes que ocorreu o lance polêmico do primeiro tempo. Bustamente tabelou com Marcos Paulo, recebeu na frente e entrou na área. Quando concluiu, o zagueiro João Félix se atirou na bola, que pegou em sua coxa e, na sequência, no braço. O time da casa pediu pênalti, mas a arbitragem mandou seguir.

 

Pouco antes do intervalo, outra chance colorada. Pato recebeu de João Félix e conduziu da esquerda para o meio. Ele abriu espaço e arriscou, a bola desviou na defesa e quase encobriu o goleiro, que voltou a tempo para salvar. O Pelotas também teve uma oportunidade: Marcelo arremessou o lateral para a área, a defesa dividiu e Marcos Paulo concluiu ao lado da trave.

 

O segundo tempo começou sem mudanças nas equipes. E com o Pelotas atacando. Bustamante recebeu pela direita, ajeitou e chutou, para fora. O Inter, depois disso, assentou-se na partida e, na base da posse de bola, passou a dominar as ações. 

 

Buscando jogadas pelos lados do campo, o time da Capital rondava a área, mas era pouco efetivo e quase não finalizava. Dominado pelos zagueiros, Vinícius Mello deu lugar a Matheus Cadorini, a primeira troca do jogo. 

 

A partida tinha amornado, as substituições ocorriam para tentar reanimá-la quando o Inter marcou o segundo gol. Lucas Vital deu bom passe para Lucas Ramos, que avançou pelo meio e arriscou. A bola desviou em Gabriel Silva e matou o goleiro: 2 a 1, virada colorada.

 

O técnico Fábio Matias mexeu em mais duas peças: saíram Lucas Vital e Amaya, entraram Igor e Cleberson. Com mais vitalidade, o Inter teve uma boa chance para matar em um contra-ataque. Guilherme Pato avançou, mas demorou e foi travado por Gabriel. No carrinho, a bola pegou na perna do zagueiro e em seu braço.

 

Nos acréscimos, o lado esquerdo da defesa colorada sofreu uma desatenção, e Marcelo cruzou. Marcão concluiu de letra, Daniel defendeu e pouco antes de a bola entrar, Itaqui apenas empurrou: 2 a 2, placar final.

Fonte: GZH

Mais notícias desta categoria

Publicidades