Publicidades

25/03/2021 | 00:06 | Esporte

Com gols de Edenilson e Galhardo, Inter vence o Caxias e se isola na liderança do Gauchão

Colorado chegou aos 13 pontos, mas ainda pode ser alcançado no complemento da rodada

Jefferson Botega / Agencia RBS

O primeiro jogo de Miguel Ángel Ramírez no Beira-Rio foi de vitória. Diante do Caxias, até então invicto, a entrada de Edenilson foi decisiva para o 2 a 0 que fez o Inter dormir na liderança do Gauchão, mas com dois jogos a mais do que o Grêmio, atual vice. O camisa 8 fez um gol e participou da jogada do segundo, marcado por Galhardo.


Ramírez havia anunciado que faria trocas no time, tanto para observar jogadores quanto para dosar o desgaste neste começo de temporada. Por isso, não foi tanta surpresa assim que mudassem tantas peças: Marcelo Lomba voltou para o gol, Heitor e Léo Borges nas laterais, Lucas Ribeiro como dupla de Zé Gabriel na zaga. 

 

O meio teve Nonato e Dourado, além de Praxedes. No ataque, Caio Vidal retornou ao lado direito, Patrick permaneceu na esquerda e, 220 dias depois da lesão que o tirou da temporada 2020, Guerrero começou como titular.


O Inter começou dominando as ações. Nos cinco primeiros minutos, o Caxias mal tocava na bola, enquanto os colorados já tinham assustado o goleiro Marcelo Pitol duas vezes. Na primeira, Léo Borges cruzou e Caio Vidal concluiu por cima. Na segunda, Praxedes abriu espaço pelo meio e chutou da intermediária, perto da trave.

 

A pressão, com troca de passes, envolvia o Caxias e fazia o Inter se aproximar da área. Em uma tabela com Guerrero, Nonato sofreu falta pouco atrás da meia lua. O peruano cobrou com estilo, por cima da barreira, e a bola explodiu no travessão.

 

O jogo ficou morno por alguns minutos, quando o time visitante encaixou a marcação, mas aos 24 o Inter voltou a levar perigo. Caio Vidal foi à frente, cruzou, Guerrero fez o pivô e ajeitou para Heitor. O lateral encheu o pé e Pitol salvou com a ponta dos dedos. Pouco depois, Praxedes quase marcou, de novo arriscando de fora da área. A curva da bola chegou a enganar o goleiro adversário, mas passou pouco acima do travessão.

 

A superioridade do Inter, baseada em posse de bola e troca de passes, não foi traduzida em gols. As chances até apareciam, mas faltava sempre algum detalhe para a conclusão. O Caxias teve apenas um contra-ataque, pela esquerda, mas Mazola foi presionado e chutou fraco, nas mãos de Lomba. O dono da casa também teve uma última conclusão antes do intervalo, mas Caio chutou fraco.

 

O Caxias voltou do vestiário com uma troca, Gustavo Ramos na vaga de Jhon Cley. Ramírez não mexeu na equipe. O começo do segundo tempo pareceu mais o final do primeiro do que aqueles minutos iniciais. O Inter ainda pecava na lentidão e alguns jogadores não conseguiam dar sequência às jogadas. Caso de Patrick, o primeiro a ser substituído, dando lugar a Maurício. Ao mesmo tempo, Guerrero, ainda em fase de recondicionamento, saiu para a entrada de Thiago Galhardo.

 

As trocas não deram a resposta desejada pelo treinador. Bem posicionado, o Caxias não deixava o Inter progredir. Por isso, 10 minutos depois, o técnico fez mais duas trocas: Edenilson e Yuri Alberto dentro, fora Nonato e Praxedes.

 

Aos 24, o acréscimo de qualidade deu resultado. Léo Borges tabelou com Maurício, que foi à ponta e cruzou forte. Edenilson ajeitou e chutou colocado, com efeito, de pé esquerdo, longe de Pitol: Inter 1 a 0.

 

A vantagem fez os colorados diminuir o ritmo. E, principalmente, baixar as linhas. Passes de zagueiro para zagueiro e para o goleiro foram mais frequentes, o que se transformou em risco, porque o Caxias se encorajou. Teve uma boa chance com Milla, que recém havia entrado. Ele até marcou um gol, mas o lance foi bem anulado, por impedimento.

 

O Inter respondeu em seguida com Caio Vidal, que driblou Bruno Ré, ganhou de Pitol para cruzar, mas a bola foi muito na frente para Galhardo e atrás demais para Yuri. A última troca veio logo depois, Heitor, cansado, foi substituído por Rodinei. 

 

Nos últimos minutos, o Inter ainda seguiu em cima. Em uma roubada de bola no ataque, Caio foi inteligente para evitar participar da jogada por estar impedido. Edenilson apareceu, cruzou rasteiro e Yuri, sem goleiro, acertou o travessão.

 

Aos 44, Galhardo foi lançado e quando se preparava para fazer o gol, acabou abalroado pelo zagueiro Guilherme Mattis. Ele já tinha cartão e foi expulso. Com a superioridade, o Inter ainda levou um susto, mas Lomba defendeu o chute de Giovane Gomez. Nos acréscimos, em uma jogada construída, Maurício deixou Galhardo livre para fazer o 2 a 0.

Fonte: GZH

Mais notícias desta categoria

Publicidades