Publicidades

31/03/2021 | 22:04 | Esporte

Inter empata sem gols com o São José no Beira-Rio

Goleiro Fábio, do Zequinha, foi o grande nome da partida

Marco Favero / Agencia RBS

Antes do Gre-Nal, um empate. No Beira-Rio, com muitos possíveis titulares, o Inter não saiu do 0 a 0 com o São José, pela oitava rodada do Gauchão. A partida marcou a estreia de Palacios, no segundo tempo. O resultado quebra a sequência de vitórias de Miguel Ángel Ramírez, mas manterá a equipe na liderança da primeira fase do Estadual.


Foi também primeira partida colorada com o novo uniforme, e o time teve novidades. A maior foi Daniel no gol, na primeira chance com o time principal. Na defesa, Heitor e Léo Borges nas laterais, Cuesta e Zé Gabriel na zaga. O meio contou com Lindoso, Edenilson e Maurício. Na frente, os escolhidos de Ramírez foram Caio Vidal, Guerrero e Patrick. 


O São José começou a partida pressionando, tentando evitar que o Inter construísse com tranquilidade pelos zagueiros colorados. Apesar de alguns erros, o Inter manteve a postura de não sortear a bola e tentou sair jogando por baixo. E teve sucesso na maior parte das vezes.

 

A primeira chance foi aos cinco. Guerrero dominou pelo meio, entregou a Edenilson, que tabelou com Caio Vidal, recebeu na frente, ajeitou e bateu ao lado da trave. 

 

Como não seria possível manter aquele ritmo inicial, o São José baixou as linhas e aceitu a pressão, em busca de um contra-ataque. Mas acabou levando um quando tentou atacar. Caio Vidal recuperou a bola pela direita, deu para Edenilson, recebeu na frente. Invadiu o ataque e passou a Maurício, que dominou e bateu, mas para fora.

 

Aos 28, o Inter construiu, de pé em pé, a melhor jogada da partida. Um passe central, rasteiro, de Cuesta, caiu no pivô de Guerrero. Em dois toques, o centroavante ajeitou para Edenilson, de frente. O camisa 8 encontrou Lindoso se deslocando para a área, no espaço aberto pelo peruano. Lindoso bateu de primeira, mas para fora.

 

Dez minutos mais tarde, outra boa jogada. Cuesta, de novo, percebeu o espaço na intermediária e avançou. Lançou Patrick pela esquerda. Ele deu uma leve ajeitada e bateu. Fábio pegou, largou, Maurício apanhou o rebote, driblou e chutou. Pablo, deitado no chão, salvou.

 

O Inter intensificou a pressão nos minutos finais do primeiro tempo. E só não fez gol porque Fábio brilhou. Aos 44, ele operou uma grande defesa quando Caio Vidal bateu forte, com a bola quicando, à queima roupa. Na sequência, após a cobrança de escanteio, o goleiro voou para salvar o cabeceio certeiro de Cuesta. 

 

Os dois times voltaram iguais do intervalo. E o jogo recomeçou no mesmo desenho que terminou o primeiro tempo. Aos quatro minutos, Edenilson deu um balãozinho espetacular no adversário, deixou deitado, e passou a Maurício, que cruzou. Caio Vidal se precipitou e tentou fazer de voleio, concluindo mal, por cima do travessão. Logo depois, outro bom passe de Cuesta para Maurício, que ajeitou para o meio, rasteirinho, mas Guerrero chegou levemente atrasado. 

 

Sem transformar a superioridade em gol, Ramírez fez a primeira troca: saiu Caio Vidal, entrou Praxedes. Com isso, Maurício foi ser ponta pela direita. 

 

Apesar do domínio, o Inter não atacava com volume suficiente para sufocar o São José. Então, Ramírez chamou mais dois atletas: Galhardo e o estreantes Palacios. Eles entraram nos lugares de Guerrero e Patrick.

 

A primeira participação de Galhardo só não foi gol porque Fábio, de novo, operou um milagre. Cuesta fez um lançamento perfeito, na medida, para o centroavante, que dominou com calma e concluiu. O goleiro saiu no tempo certo e salvou com o braço.

 

O São José deu seu primeiro chute aos 30, em um contra-ataque. Kelvin arrancou pela direita, correu o campo todo e chutou. Daniel espalmou. Na cobrança do escanteio, foi a vez de contra-ataque para o Inter. Palacios escapou pela esquerda e deu um passe na medida para Edenilson, que, cara a cara com Fábio, dominou errado e tentou consertar passando a Praxedes, que bateu em cima do goleiro.

 

Para dar mais força ofensiva ainda, as últimas duas trocas: Yuri Alberto e Lucas Ramos nas vagas de Lindoso e Maurício. 

 

Apesar da pressão, o São José resistiu e comemorou a sequência invicta com Hélio Vieira.

Fonte: GZH

Mais notícias desta categoria

Publicidades