Publicidades

09/06/2021 | 15:07 | Polícia

Funcionário público é indiciado por suspeito de cobrança para confeccionar Carteira de Identidade em Crissiumal

Guia Crissiumal

Na data desta quarta-feira, 09 de junho de 2021, a Delegacia de Polícia de Crissiumal remeteu  à justiça um inquérito policial instaurado para a apuração do crime de concussão, descrito no art. 316 do Código Penal. A pena máxima do crime pode chegar a doze anos de reclusão.

 

O fato investigado refere-se à exigência indevida de valores para encaminhar a confecção da primeira via de carteiras de identidade (RG) que, segundo a lei, é gratuito.

 

Um funcionário da administração pública municipal foi indiciado. Conforme o delegado William Garcez, responsável pela investigação, os elementos de informações e provas colhidas no inquérito policial apontam que a cobrança indevida ocorreu em diversos casos e que o agente público recebia pessoalmente (em mãos) alguns valores.

 

Contraponto:

 

A defesa do Servidor Municipal de Crissiumal, através do advogado Carlos Brackmann, emitiu nota na tarde dessa quarta-feira (09) contrapondo as acusações contra o seu cliente.

 

O Guia Crissiumal descreve abaixo a nota na íntegra, como direito de resposta ao acusado:

 

Direito de Resposta

 

"A defesa do servidor indiciado vem através do presente, respeitosamente, contrapor as informações repassadas pela autoridade policial a respeito do inquérito policial que apurou o suposto delito do crime de concussão, a fim de evitar possíveis pré-julgamentos perante a comunidade.

 

Insta referir que os supostos elementos probatórios não confirmam a tese ventilada pela autoridade policial, ao menos no tocante a autoria.

 

Os valores recolhidos para a confecção da 1ª via da Carteira de Identidade ocorreram por orientação de outros agentes públicos e até onde saiba foram repassados diretamente para a conta bancária de instituição de apoio ao aparelhamento das forças policiais de outro município.

 

O servidor indiciado não recebeu nenhum valor indevido e desconhecia qualquer ilegalidade no procedimento que foi adotado, sendo que dito procedimento vinha sendo adotado à algum tempo por outros servidores que o antecederam.

 

Apenas estranha que os responsáveis pelas orientações que lhe foram repassadas não tenham sido ou não estão sendo investigados.

 

Dessa forma, recebe com tranquilidade a notícia de seu indiciamento e caso seja denunciado irá provar a sua inocência em juízo.

 

Crissiumal, 09 de junho de 2021

 

Carlos Brackmann

 

OAB/RS Nº52.753"

Fonte: William Garcez, Delegado de Polícia de Crissiumal

Mais notícias desta categoria

Publicidades